quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Opinião Dominante

  Uma das coisas mais idiotas que conheço é pegar dinheiro emprestado para pagar a dívida de um empréstimo anterior.

  Claro que há situações infelizes onde isso se justifique.
  Algum imprevisto de grande monta como doença ou acidente de carro, desemprego... mas vamos ficar nas situações mais cotidianas.

  Você não vai conseguir pagar o cartão de crédito e apela para o empréstimo pessoal onde os juros são mais baixos.
  Entenda que a dívida continua e inevitavelmente fica maior.
  Essa é uma matemática tão básica que é inexplicável como alguém formado em qualquer ensino fundamental não consegue entender.
   E os economistas que trabalham para o governo, como é possível eles não entenderem!?

  Um governo que gasta mais do que arrecada e recorre a empréstimos para pagar empréstimos só pode ficar cada vez mais endividado.

  Vamos aplicar esse plano de pensamento a imigração e aposentadorias?
=========================
 “A Europa está envelhecendo e apresenta baixa natalidade, precisa da entrada maciça de imigrantes para pagar as aposentadorias.”

  Quantas vezes você já leu esse tipo de comentário? Vamos meditar sobre essa “opinião dominante”.

  Esses imigrantes um dia também não irão envelhecer e requerer aposentadorias!?
  A “solução” é estimular a vinda de mais imigrantes que um dia também irão se aposentar!?
  Percebem a dívida social sendo rolada e crescendo a cada geração?
  Amarrando no texto anterior fica uma ideologia explosiva que infelizmente muitos defendem.
  Vejam se gostam dessa consequência:

  Precisamos dos povos subdesenvolvidos procriando irresponsavelmente feito ratos para suprir as aposentadorias nos países desenvolvidos.


  A consequência é que o planeta vai ficando perigosamente mais populoso e não exatamente com seus povos mais eficientes.

  Uma Europa islâmica seria mais eficiente que uma Europa cristã?
  A história nos sugere que não.  Clique Aqui

  Um Estados Unidos “latinizado” seria mais eficiente...a história sugere que não. 

  “O número de latinos dos EUA cresceu 43% na última década, quatro vezes mais que o conjunto da população do país, que aumentou 9,7%.
   Entre 2000 e 2010, a população total dos EUA cresceu 27,3 milhões de pessoas, sendo 15,2 milhões relativos ao contingente hispânico.”  Clique Aqui
====================
  Fica claro que a questão das aposentadorias nos países desenvolvidos não será solucionada eficientemente com importação de pobres.

  Aliás essa fórmula da geração que está entrando no mercado de trabalho ter que bancar a aposentadoria da geração que está saindo deveria ser jogada no lixo da história.

  Cada um deve se responsabilizar por sua própria velhice juntando recursos para ela.

  Se o indivíduo for eficiente nesse planejamento terá uma velhice com fartura, se não for terá uma REDE DE PROTEÇÃO bancada pela sociedade, mas que não será grande coisa.
  Quem sabe seus filhos lhe de alguma mesada ou você morra cedo... HAHAHAHAHAHAHAHAHA!

  Noto uma grande dificuldade das pessoas em abandonar a cultura que foram criadas e os resquícios dessa cultura seguem por gerações.
  Fico impressionado com descendentes de muçulmanos que já estão há gerações na Europa e mesmo assim se tornam extremistas radicais para defender algo que não deveria ter muito a ver com eles, mas foi passando de geração a geração até chegar nos dias atuais.
  Quero dizer que pelo que tenho observado, a entrada maciça de latinos nos EUA provoca uma ineficiente latinização.
  A entrada maciça de africanos e árabes na Europa provoca uma ineficiente “islamização”.
  Países desenvolvidos precisam selecionar melhor quem aceitam dentro de suas fronteiras
   É preciso averiguar se são pessoas compatíveis com a cultura local.

  Até pouco tempo atrás eu também acreditava que uma muçulmana em contato com a cultura do ocidente “vivendo no ocidente” aceitaria uma nova visão sobre a “feminilidade”.
  Mas elas em plena Europa lutam para manter a cultura árabe e passar para suas filhas a noção muçulmana da condição da mulher.
  Mais ainda tentam converter europeias ao islamismo!!
  Se o Islã é tão bom porque elas vieram atrás de uma vida melhor na Europa, quem me explica?

  Para terminar esse texto entenda que:

  Culturas não são imutáveis, estão em constante transformação.

  Temos que tornar a cultura latina mais eficiente dentro de nossas próprias fronteiras.
  Está bem mais fácil a América Latina ficar mais democrática e liberal que isso ocorrer na cultura de países islâmicos e africanos.

  Os africanos tem uma cultura de vitimização muito grande como se o resto do mundo tivesse uma dívida eterna e impagável com eles.
  Os muçulmanos tem um fanatismo religioso difícil de se ajustar em Estados laicos.

  “O que certamente nunca houve no Brasil foi um choque liberal.
   O liberalismo econômico assim como o capitalismo não fracassaram na América Latina. Apenas não deram o ar de sua graça.”  [Roberto Campos]


  Quem sabe estejamos vivendo o início desse acontecimento inédito, que assim seja!


     Mas ainda temos que suportar mais 4 anos.


Anterior          <>        Próximo

Postar um comentário