quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Preciso de Você

  “Cada pensamento, cada palavra e cada ação têm seu reflexo, sua ressonância e sua reação.
  É um sinal de fraqueza culpar os outros por seus problemas. ​​
  Você deve suportar as consequências das suas próprias ações.”
 [SATHYA SAI BABA]

  Canso de ver pessoas defendendo a tese que somos responsáveis por tudo de bom ou mau que nos acontece, que “colhemos tudo que plantamos”.
  Culpar os outros por todas dificuldades que temos é um exagero, mas dizer que as ações dos outros não mudam nossos resultados é uma tese impossível de defender.

  

  Por vezes o indivíduo não tem como objetivo me fazer mal, é só um inevitável efeito colateral.
  Um colega que quer o amor da mesma mulher que eu está defendendo os interesses/sentimentos dele e não necessariamente querendo algum mal para mim.

  No entanto se outro ficar com o objeto, situação ou pessoa que desejo é evidente que meu “resultado satisfatório” está sendo comprometido.

  Quando conheci minha esposa ela estava noiva.
  De certo seu noivo a amava muito e fez de tudo para ficar com ela, tinha inclusive o apoio total da família.
  Ele plantou o fim do relacionamento?
  Claro que não, até onde sei era um cara muito legal.
  Eu tinha intenção de fazer algum mal a ele?
  Evidente que não.

  O "rival" estava muito apaixonado fez tudo que pode para que o noivado não acabasse.
  Religioso, deve ter orado a Deus para não perder a noiva.

  Não, não houve traição.
  Eu e minha esposa éramos colegas de trabalho, começamos a sair meses depois da separação.
  Dá minha parte entendia seu sofrimento, não queria que tudo tivesse acontecido daquele jeito, as vezes que fui rude com ele se fizeram absolutamente necessárias.
  Espero sinceramente que esteja casado e muito bem.
  Porem a coisa foi feia, por muito tempo temi pela segurança da minha esposa, ele ficava a seguindo... mas tudo é passado, não vale a pena entrar em detalhes nesse texto.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Vou mais uma vez mostrar que somos parte de uma gigantesca engrenagem onde sofremos as consequências das ações de outros independente da nossa vontade, tanto em nosso “microuniverso” como no “macro universo”.

  Escrevi vários textos sobre Tradição, aquela frase de Einstein me provocou bastante e nos possibilita exemplos no macro universo.

"A Tradição é a personalidade dos imbecis".

1 -  Nós brasileiros temos hábitos lamentáveis, para eu [e pessoas semelhantes a mim] é ainda mais triste porque mesmo não tendo o habito acabo pagando o preço.
  Muitos parecem achar "chic" ter dividas no cartão de crédito, como não ligam para os juros altos, nem percebem o quanto encarece o produto.
  Não rolo dividas no cartão de jeito nenhum, mas se acontecer algum imprevisto terei que arcar com uma pesada taxa de juros, ainda bem que nunca aconteceu.
  Note que mesmo não dando sustentação a uma elevada taxa de juros, caso eu precise passar do meu limite, estarei sujeito as mesmas condições de pagamento.
  Se as pessoas não dessem tanto calote e não fossem tão descontroladas com os gastos, o mercado financeiro não precisaria e nem conseguiria cobrar juros tão elevados.
  Percebam que eu NÃO planto com minhas atitudes juros tão altos no cartão, mas vivo em uma coletividade e arco com as consequências.
  Nesse caso consigo escapar tendo sempre alguma reserva para casos de emergência.

2 - No caso da compra de um carro novo não tenho como escapar, nosso povo [sem generalizações] acha chic pagar caro por um carro, isso lhes confere algum "status", logo, se eu quero comprar um carro novo tenho que pagar o PREÇO DE MERCADO super valorizado e não o quanto ele vale de fato.

 "No México o Novo Gol 1.6 sai por 128.045 pesos - ou 18.105 reais.
  No Brasil, o carro deixa as concessionárias valendo quase o dobro: 34.500 reais."


3 - Para eu e pessoas iguais a mim, NÃO precisaria existir uma Lei da Ficha Limpa.
  Quem quer ser candidato não deve ter antecedentes criminais.
  Se foi algum ato que não causou grande dano, uma “loucura da juventude” posso até relevar.

  ” Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra.”

  Para casos mais graves, estupro, assalto a mão armada, estelionato, latrocínio ... o candidato está eliminado.
  Mesmo que sua ficha não esteja "suja" (Julgado e Condenado), mas esteja "cinza" espero dele convincentes explicações senão o descarto, nem penso em votar nele.

  Votar em pessoas sabidamente com baixíssimo nível cultural é outra coisa que não faço, logo eu que valorizo tanto o CONHECIMENTO seria uma falta de coerência.
  Vi um programa onde o deputado não sabia apontar a região nordeste no mapa do Brasil!
  Dois exemplo fáceis são o Tirica em Brasília e Marquito em SP.
  Há comediantes inteligentes, bem informados, cultos.
  Não é o caso de Tiririca e Marquito, eles são comediantes caricatos, vestem um personagem engraçado ... no caso do Marquito nem isso.

 “Vereador e comediante da TV, Marquito é investigado por desvios.”

  É mais uma “macro situação” da qual eu sofrerei as consequências mesmo tentando votar certo.
  Não somos uma ilha isolada, nossos resultados bons ou maus não tem como depender exclusivamente de nossas ações.
 Claro que devemos dar o nosso melhor, mas não devemos ter a ilusão que o melhor retornará para nós como se isso fosse uma “lei cósmica”.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Vejo na Internet cidadãos sem nenhum CONHECIMENTO de história que ficam reclamando de coisas no Brasil.

  O problema de não conhecer História é repetir os erros ou perder um precioso tempo tentando inventar o que já existe.
  Esse é mais um habito indecente que joga lá em baixo os resultados dos debates...

  Mas esse texto é para NÃO nos sentirmos tão mal, incompetentes...um povo “sem solução” para isso precisamos de mais algum conhecimento.

  Devemos identificar nossos hábitos, manter os bons e tentar eliminar [ou amenizar] os maus.

  Entendam que maus hábitos não são exclusividade do Brasil, todos os povos, todos os países tem "hábitos indecentes".

  Os americanos se armam até os dentes de maneira exagerada, é uma tradição ter arma mesmo que não seja identificada uma necessidade.

  Espanhóis chamam de "esporte" sangrentas touradas.

  Japoneses curtem suicídio coletivo e caça às baleias.

  Povos africanos tem hábitos tão selvagens que nem vou ficar comentando porquê de certo me chamariam de preconceituoso.
  Apenas para não ficar em branco lembremos da selvageria que é extirpar a clitóris, mutilando garotas.

  Se você se reconhece em algum habito nocivo...tente se corrigir.

  Se meu vizinho solta balões EU não vou soltar e nem passar essa tradição para minhas filhas, será um habito nocivo a menos.
  Se meu vizinho coloca vidas em risco com sua irresponsabilidade não sinto nenhum remorso por denuncia-lo.

  Sei como é criança e não vou intervir se algum pai der uma palmada em seu filho, mas não vou admitir que uma criança seja visivelmente torturada, espancada ... me sinto no dever de denunciar.

  Sei que é politicamente incorreto dizer que devemos vigiar uns aos outros, mas não vejo melhor maneira de forçar certas pessoas a se comportarem com o mínimo de CIVILIDADE.

  Uma cidade limpa precisa do serviço de manutenção e limpeza, mas tão ou mais importante é que seus moradores colaborem mantendo a limpeza.
  Da mesma forma uma cidade mais segura precisa que seus “bons cidadãos” denunciem os crimes e exijam PUNIÇÃO a altura.

  Se você se sente um deus que tudo pode, tudo só depende da sua vontade e esforço individual ...boa sorte!

  Se igual eu se reconhece humano... desenvolvamos bons hábitos, uma sociedade mais civilizada potencializa nossos melhores resultados.

  Gostaria de ser “todo poderoso”, mas a realidade me diz que:

  EU PRECISO DE VOCÊ.
   


anterior                       <>                                próximo

-------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário