segunda-feira, 26 de junho de 2017

Suicídio

  “Existe apenas um problema filosófico realmente sério, o suicídio.
   Julgar se vale a pena viver ou não, significa responder a questão fundamental da Filosofia.”
[Albert Camus]

  Não acho que seja uma questão fundamental da "Filosofia Geral" (aquela que você analisa a vida holisticamente) tenho como uma decisão fundamental pessoal. (Filosofia Pessoal)

  Filosoficamente não faz sentido viver em condições físicas muito precárias.

  Seja por doença, seja por situação muito difícil de sobrevivência ... fome, tortura, prisão ...

  A Filosofia não tem como ser contra o suicídio, é uma decisão pessoal que na maioria das vezes é a melhor.

  Vou analisar duas questões pessoais.

1 - ESPERANÇA.

  Com base em FATOS, quanto você acredita que pode melhorar suas condições de vida?
  Isso varia infinitamente de pessoa para pessoa.
  A variável complicada é a “ilusão”.
  O indivíduo deturpa os fatos.
  Exemplo rápido:
  Um cidadão depois de anos lutando contra o vício em drogas, já perdeu tudo, vive na rua, faz mal as pessoas praticando furtos é um transtorno para família.
  Diante desses fatos o suicídio é a melhor decisão.

  Entretanto o indivíduo se apega a outro fato.
  Muitos que quiseram realmente deixar o vício em drogas conseguiram.
  Sem dúvida é um fato inquestionável.
  Acontece que estamos falando de um indivíduo que já tentou a reabilitação várias vezes e agora está no fundo do poço.
  É difícil saber onde termina a esperança e começa a ilusão.

  “Minha regra geral” é que quando acaba a esperança o suicídio é a melhor opção.

  Aquela situação a qual você não encontra mais razão para viver.    
  Continuar vivo vai trazer muita dor e sofrimento pra você ou aos que estão a sua volta.

  Você não concorda que o suicídio seja a melhor opção, nesse caso das drogas em que o cidadão visivelmente não tem controle?
  Saudações democráticas, mas...

  “Mais de 60% dos assassinatos ocorridos no Brasil em 2010 tiveram qualquer tipo de ligação com o tráfico de drogas, o número aumenta ainda mais, se excluirmos as mortes e destacarmos apenas os crimes convencionais, como roubos e furtos,eleva o número para mais de 80%.”

  É, o cidadão continua provocando colapsos familiares, e provocando o mal em inúmeras pessoas, inclusive o assassinato.
  Eu particularmente recebo com certo alivio quando um drogado problemático morre por over dose.
  Se comete suicídio ... eu respeito sua decisão.

2 - IDEOLOGIA

  A “crença” do indivíduo é o que mais interfere na sua visão do suicídio.

  “Seguidores de crenças têm taxas mais baixas de suicídio que ateus”.
  
   A maioria das religiões são contra o suicídio, vou seguir por essa meditação vamos focar no Cristianismo.

  “Não lembro” de ter lido na Bíblia nenhuma advertência direta contra o suicídio. ​​
  Os teólogos decidiram que o suicídio é um grande pecado, mas suas bases são muito subjetivas.

  Não matarás é o mesmo que NÃO SE matarás? 

 “Vai, pois, agora e fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até à mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até às ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos.”

  Leio muitas críticas a Saul por ter praticado suicídio e muita exaltação a Davi por ter cometido muitos assassinatos!
  Lembremos que Davi nasceu muito depois de Moisés.
  Pra você que não lê a Bíblia...
  Moisés foi o cara que esteve na presença do Deus de Abraão e trouxe os Dez Mandamentos cujo o quinto é NÃO MATAR.
  Deus dá um mandamento e ele mesmo contradiz essa lei!

  Pastores e padres dizem que o suicídio é um “auto assassinato”
  O que vai contra nossos dicionários.
   [Assassinato: Ação ou efeito de assassinar; ação de assassinar (matar) uma outra pessoa.]

  A IDEOLOGIA “cria” conceitos e o “crente” não pode pensar/questionar.
  É isso, se você não aceitar vai para os quintos dos infernos...

  Aceito as coisas que fazem sentido, para verificar se faz sentido eu preciso pensar...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
A vida a Deus pertence.

   Porque não posso devolver a ele se está insuportável!?

  De repente voltamos para aqueles questionamentos básico a respeito da doutrina/ideologia cristã.
  Se Deus está no controle de tudo poderia fazer com que só ótimos governantes fossem eleitos, isso eliminaria as guerras, fome, condições precárias de vida.
  Da mesma forma vírus nocivos poderiam desaparecer da Terra, não ficaríamos doentes.
  Drogas de todo tipo não vieram de outro mundo, foram criados nesse.
  As plantas que formam a maconha, opio, cocaína, álcool, fumo ... não foram criadas por Deus?
  Quem mais tem o poder da “criação”?
  Nós humanos, Lúcifer?
 
  O objetivo desse texto é você entender que “caso” deus/espíritos existam NÃO dá para afirmar o que acontece com um suicida no “pós morte”.

  Tudo não passa de suposições dos antigos propagada por lideres religiosos.





Vamos a um caso prático:

  "Marcelo Rezende fala sobre morte e diz que acredita em cura divina."

  A Filosofia MATEMÁTICA (Ciência) diz que o câncer em Marcelo é muito agressivo, possibilidade de cura ... menos de 5%.
  Os fatos dizem que Marcelo vai morrer, não podemos nem falar em esperança.
  A ideologia de Marcelo o induz a Fé e esta é uma expectativa positiva contra todos os fatos...
  Se ele se curar, realmente pode ser considerado um milagre, uma intervenção espiritual.

  No caso dele “EU” já teria perdido a esperança e o suicídio seria uma boa decisão.
  Geralmente o tratamento de câncer em si é muito dolorido, o câncer dói ainda mais.
  Em estágio avançado são ministrados anestésico fortíssimos que em muitos casos ainda não são suficientes.
 Trabalho em um hospital “vivencio” o que estou escrevendo.

  Marcelo Rezende tem dinheiro, eu não.
  O meu sofrimento seria multiplicado várias vezes.
  E minha família?
  Sem dinheiro para contratar auxiliares minha esposa e filhas ficariam com todo peso do meu tratamento.
  Um desgaste enorme em um “jogo” que eu teria apenas 5% de chances de “sobreviver”.
  Em se tratando de câncer a “reincidência” não pode ser descartada, graves sequelas também não.

  Marcelo Rezende tem 65 anos, hoje em dia uma pessoa “saudável” com essa idade pode produzir muita coisa, os trabalhos não exigem grande esforço físico graças a tecnologia.
  Silvio Santos tem 86.
  Abílio Diniz 80.

  A palavra-chave é “saudável”.
  Depois dos 60 as recuperações do organismo se tornam muito lentas.

  Se eu estivesse fisicamente na situação de Marcelo Rezende e na minha situação econômica ... uns comprimidinhos para dormir eternamente viriam bem a calhar.

  Eu consideraria o suicídio um ato nobre da minha parte.
  Me poupar de uma dor desnecessária e evitar um enorme sofrimento para minha família.

  “Obrigado” Deus pelo “presente”, mas eu não sirvo mais nele ...


  (Se o Senhor está chateado ... imagine eu velho e doente. 😩)


----------------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário