segunda-feira, 10 de novembro de 2014

A vantagem de não ter Hímen

   “Dizem que mulher satisfeita não trai.
    Mas alguém já viu mulher satisfeita!?”

  



  Estava sentado em uma dessas cadeiras giratórias quando meu colega Alex me pediu uma informação.
  Estava no meio da conversa quando um garoto que não tinha mais que 10 anos me interrompeu.
  Sem cerimônia se ajeitou entre minhas pernas e começou a fazer vários questionamentos, puxar conversa.
  Fiquei muito desconfortável com a situação, meu colega me olhou com ar de zombaria, mas tentou me socorrer:

   “Onde está sua mãe garoto?”

  -Está na fila para marcar consulta.

  Aproveitei o momento para tirar o garoto “do meio das minhas pernas”.
  Ô menino chato!
  Ele não se deu por vencido continuou encostado em minha coxa agora pelo lado externo.
  Como se não bastasse tocava minha mão, meu braço, não parava de fazer perguntas.
  Fui mais grosseiro, disse que estava trabalhando e que ele fosse junto da mãe dele.

  Tem pessoas que nascem com essa necessidade do contato físico.
  Eu nasci com uma certa aversão ao contato físico, meditamos sobre o já nasci assimno texto anterior.
  Geralmente não gosto de ser tocado.

  Vamos para a situação que eu fosse tão carente quanto o garoto, mais que isso, tivesse nascido com tendência a pedofilia.

  Como estava em horário de trabalho e tinha meu colega Alex por perto eu não faria nada.
  E se eu tivesse naquele lugar de passagem sem testemunhas por perto?
  Garanto a vocês que o menino estabeleceu uma intimidade comigo que não tenho nem com as minhas filhas.
  Não precisaria nem lhe oferecer algum agrado, se eu pedisse para ele me acompanhar provavelmente ele iria.

  Não, essa não é a primeira criança tão afetuosa/carinhosa que encontrei, elas existem aos montes e sempre que cruzarem com alguém com tendência a pedofilia estarão correndo grande risco.

  Se você nunca encontrou crianças desse tipo...esse texto não fará sentido pra você.
  Ou talvez tenha acontecido, mas não tenha dado atenção.

  Não consigo evitar de reconhecer padrões e suas exceções...em tudo.
  É meio automático na minha mente.
  Nesse caso o padrão é que em geral crianças NÃO buscam muita intimidade com estranhos.
  Isso é reservado aos pais e pessoas próximos que participam da sua criação.
  Quando encontro crianças tão afetuosas mesmo com quem acabaram de conhecer é algo que foge do padrão.

  Se eu fosse um vizinho daquele garoto, professor, conhecido da família e começasse acariciar aquele menino... quando ele falaria para eu parar?
  Se eu abusasse dele sexualmente e pedisse para não falar para ninguém será que ele falaria?
  Entenda que o garoto é muito carente de contato físico, a relação seria prazerosa para ele, algo que que ele iria querer que continuasse.
  Quero dizer que podemos multiplicar por várias vezes qualquer informação sobre práticas sexuais na infância e adolescência.
  Pouca coisa vem à tona.
  Recentemente a Xuxa disse que foi abusada na infância, observe que ela demorou anos para relatar essa ocorrência...poderia nunca ter contado, de certo muitos nunca contam.
  Mais ainda, quando ocorreu “talvez” tenha sido prazeroso para ela, algo que ela fez “sem malicia”, parecia normal.
  Só depois quando adquiriu mais conhecimento/experiência entendeu que foi algo errado.

  Tive uma colega de trabalho que sua primeira relação [e várias outras] foi com o irmão, ela nem sabia precisar quando só sabe que foi muito cedo.
  A diferença de idade entre ela e o irmão não chegava a dois anos, então se ela tinha 9 e ele 11, não dá para atribuir ao irmão grande responsabilidade pelo ocorrido.

  Veja que paradoxo interessante:

  Essa história do sexo entre irmãos não foi contada diretamente a mim, foi relatada por uma amiga da funcionária, que não tinha razão para inventar uma coisa dessas.

  Se você realmente quer guardar um segredo NÃO conte a ninguém.

  Ou conte e depois mate a pessoa... não conte a ninguém que matou.                     

  O fato é que a moça desabafou essa ocorrência por se sentir culpada, afinal incesto é algo abominável em nossa sociedade.
  Mas ela só começou a sentir culpa na adolescência, acredito que lá pelos 15 anos.
  Deduzo isso devido outros padrões de casos parecidos.

  Percebeu o paradoxo?
  Não se preocupe ele não é tão claro, vamos a ele.

  Se ela e o irmão eram tão inocentes/ingênuos com relação ao ato sexual PORQUE FAZIAM ESCONDIDOS!?
  Fica fácil deduzir que não eram tão ingênuos...

  Porque esse sentimento de culpa aconteceu aos 15 e não aos 9 anos?

  Isso é uma Filosofia Complexa, vamos entrar no “padrão do que é fora de padrão”.
  Funciona assim.
  O padrão é NÃO chegarmos as práticas sexuais antes da adolescência.
  Mas é evidente que as pessoas que praticam sexo (ou caricias sexuais) na infância existem e não são poucas.
  Esse grupo “fora do padrão” tem “seu próprio padrão.”

  Das moças que praticam sexo na infância reconheci um padrão.

   Na adolescência vem o romantismo e do amor romântico vem a vontade de se entregar virgem ao homem que ama.

  [Segundo algumas religiões a relação sexual só pode ocorrer depois do casamento, isso aumenta a culpa na garota mais religiosa.]

  Na infância a moça fez sexo como brincadeira/diversão/curiosidade, não havia o componente amor envolvido.

  Acontece que hímen é só uma membrana, ela não sabe que só pode se romper diante do “verdadeiro e único amor.”

  Nesse momento a mulher quer encontrar alguém para colocar toda a culpa, se é religiosa quer se justificar diante de Deus.
  No caso da minha colega não dava para ela culpar o irmão que era muito criança também, só lhe restava desabafar com algumas amigas.
  Mas e se fosse alguém mais velho que tivesse se aproveitado dela, um padrasto, primo, vizinho...
  Alguém mais velho é o ideal para colocar a culpa de tudo, ele como mais velho sabia o que estava fazendo.

  No caso do homem, se é hétero e teve uma relação homossexual na infância ele leva esse segredo para o tumulo...
  Se foi abusado por alguma mulher mais velha... não chega a ser uma tragédia.
  Quando nós homens encontramos nosso “verdadeiro e único amor adolescente” não temos que lhe ofertar a “virgindade”.
  Homens tem essa vantagem de não ter hímen no bilau ou no ... como direi ... “fiofó”?
   

 
  Nessa sequência o importante é você Livre Pensador perceber que a teoria do nasci assimfaz muito mais sentido, é muito mais observável/abrangente que a teoria da Folha em Branco”.
 
[Não seja radical, evidente que o meio em que vivemos influencia nosso comportamento.]

  
  Alguns nascem muito mais pré dispostos a sexualidade.

  [Também pré dispostos a matar, roubar, ajudar o próximo, pintar, cantar, mentir, liderar, depressão, alegria...]

 CRIANÇAS SÃO HUMANOS COM MENOS TEMPO DE VIDA, MAS SÃO HUMANOS...
 (O mais difícil é convencer as pessoas do óbvio.)

  Enquanto defendermos que uma pessoa só pode responder por seus atos ao completar 18 anos e que até essa idade são anjos indefesos moldados pela sociedade... nossas leis serão muito falhas.

  Nossas leis legislam uma utopia, não a realidade observável.
  
I’ll be back!




Anterior          <>        Próximo