segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Urnas e Liberdade

 “Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo.”
[Confúcio]



 “Professores recebem penas de 20 anos de prisão por alterarem notas de alunos.
  Com aumento da média escolar da região, docentes de Atlanta recebiam bonificação.
  Ao fraudar resultados de alunos da sua escola, Beverly Hall recebeu U$ 500 mil como bônus de desempenho”
  “O escândalo gerou um intenso debate sobre a recompensa por mérito nos Estados Unidos, país que mais aplica a fórmula — inspirada em práticas empresariais — nas escolas.”
[G1]

  Nunca entendo essas pessoas que sempre querem acabar com tudo isso que está aí.

  Pegam qualquer falha em qualquer sistema que não as agrada para condena-lo.
  Quando o sistema agrada sua ideologia, pode apresentar as piores falhas que são ignoradas.
  Gente querendo levar vantagem indevida em alguma coisa sempre teve e sempre terá.
  Observem que analisando os fatos não houve uma falha no sistema de méritos, houve um crime, um estelionato, professores fraudando notas.
  Os professores foram pegos e serão exemplarmente punidos.

  A partir desse ocorrido o EUA pode pensar em medidas para tornar a detecção desse tipo de fraude mais rápida, mas recompensar os melhores professores não deve deixar de acontecer.
  Já pensou se desistíssemos do automóvel na primeira pane ou dos computadores no primeiro bug?
  Você vai em qualquer igreja de qualquer denominação e se investigar é raro não ouvir alguma história cabeluda.
  Hoje sabemos que aconteceram muitos casos de pedofilia na Igreja Católica.
  Vamos considerar todos os padres pedófilos e acabar com essa Igreja?
  Sabemos que a Igreja católica mantem inúmeras obras de caridade pelo mundo inteiro.
  Vamos generalizar que todos os padres são cidadãos acima de qualquer suspeita?

  Tomem cuidado, olhem os resultados gerais de qualquer processo/sistema antes de decretarem perda total.

  Por vezes não tem nada melhor para colocar no lugar.
  Quem vai cortar um dedo fora por causa de uma unha encravada?
  Tratemos o ferimento se necessário arranquemos a unha, mas preservemos o dedo.

  Vamos acabar com o PT, PSDB, PMDB, PC do B ... jogar uma bomba no Congresso e acabar com tudo isso que está aí...
  Militares são nossos “santos perfeitos”.

  Eu não conheço nenhuma nação comandada por militares que eu preferisse a uma nação comandada “democraticamente” por civis.

  Aqui no Blog eu tento modernizar os conceitos de acordo com a lógica.
  Estamos em 2015 e quais são hoje os requisitos básicos para uma nação ser considerada democrática?

  “EU” considero essencial duas coisas.

1 - Transparência no sistema de votação.

  No caso do Brasil considero uma grande falha não termos voto impresso, possibilitando uma auditoria real no sistema.
  Mas deixo claro que não encontrei evidencias até agora para desacreditar o resultado das eleições.
  Apenas não quero esperar que uma grande fraude aconteça para pensarmos em melhorar o sistema.
  O grande problema é que do jeito que nossas urnas funcionam, mesmo que ocorra uma fraude não temos como detecta-la.

  Para cargos mais vistosos como Prefeito, Governador, Presidente, conversando com pessoas, ouvindo comentários, conseguimos detectar a preferência do eleitorado.
  100% de certeza não dá para ter em nada, mas minha percepção
me diz que Geraldo Alckmin ganhou legitimamente em SP e Dilma ganhou legitimamente a Presidência.
  Aqui em Campinas Jonas Donizete me pareceu realmente o favorito.

  Mas e as eleições para vereadores, deputados, senadores?
  São cargos importantes e disputados por um grande número de candidatos.
  É comum que nossa atenção fique focada nas eleições do executivo deixando o legislativo em segundo plano por sua grande pulverização.
  Quero dizer que colocar ou tirar votos de candidatos ao legislativo é uma fraude muito mais difícil de ser identificada por não ser nem percebida.
  Aqui em Campinas se você colocar ou tirar eletronicamente 500 votos de um vereador faz toda diferença em quem irá para câmara municipal, mas não despertará nenhuma suspeita de fraude.
  Em 2012 foram 717 candidatos, como ter uma percepção da popularidade de tanta gente!?
  E mesmo que por milagre surja uma suspeita como provar/conferir?
  Fica claro que uma briga democrática boa, extremamente importante, é a transparência da votação, que a vontade da maioria realmente seja expressa nas urnas.

  Considero uma aberração em um sistema democrático o cidadão ser obrigado a votar.

  O problema das urnas “parece” que será resolvido.
  Entretanto o voto facultativo está longe de ser aprovado pelos políticos atuais...precisamos urgentemente mudar de políticos.

“44% não teriam ido às urnas em SP se o voto fosse facultativo” [Folha]

  Sou a favor do voto facultativo, quem não se interessa por política não deve ser obrigado a votar.
  Sei de pessoas que simplesmente anulam o voto ou votam em quem está liderando as pesquisas só para se livrarem do segundo turno.

  “A maior inclinação dos mais pobres à abstenção é um dos principais argumentos usados pelos que defendem a obrigatoriedade do voto. Para eles, a exigência é um estímulo para que essa parcela da população seja contemplada nas propostas.”  [Folha]

  Esse argumento é tão ridículo que nem iria comentar, mas vamos lá:
  Oras, cabe ao partido e ao candidato CONVENCER o eleitor a votar.
  Se o eleitor mais pobre está desanimado ou não liga para política ele vai anular o voto ou votar em qualquer um sem pensar muito.
  Logo, a parcela mais pobre da população seria contemplada pelas propostas, pois os partidos teriam o maior interesse em convence-las a votar.
  O voto do pobre vale tanto quanto o do rico e há muito mais pobres que ricos.  [William Robson]

2 - Liberdade de Expressão

  Nesse quesito estamos muito bem, TVs abertas, jornais, revistas, internet sem censura.
  Já escrevi coisas pra caramba, não posso reclamar de nenhum cerceamento.
  Já fui muito bloqueado, hoje nem tanto.
  Ainda tenho comentários apagados, mas é coisa de particulares não tem nada a ver com o governo, provedor ou rede social.
  Como Liberal tenho um enorme respeito pela propriedade.
  Se o proprietário de um blog, página, site não quer meus comentários tem todo direito de recusa-los.
  Minha única queixa com relação a liberdade de expressão no Brasil é referente ao humor.
  A proibição de fazer piadas com políticos perto das eleições é outra aberração.
  Para um Liberal eleições são uma festa.
  Com limitações sou a favor até de showmícios o candidato poderia fazer dois no primeiro turno e mais um caso houvesse segundo turno.
  O humor abrilhantaria a festa, tenho inveja dos americanos o auge dos humorísticos por motivos óbvios acontece no período eleitoral gostaria tanto que nosso povo fosse tão civilizado quanto eles...

  Para um Liberal o humor é o território mais livre quando flutuamos pelos planos de pensamentos.
  O humor pode falar sobre qualquer coisa do jeito que bem entender, quem não gosta da piada não a divulgue.
  Proibir deve ser evitado ao limite do possível.
  O limite da liberdade de expressão deve ser a calúnia e a difamação.
  Acontece que a piada lida com a imaginação.
  Uma coisa é eu dizer que você é um assaltante de banco [calúnia], outra coisa é eu insinuar isso só porque você é corintiano. [Chiste]


▬▬▬//▬▬▬

  Voltando a provocação do amigo Confúcio:

  “Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo.”

  Para considerarmos algo bom ou ruim precisamos de muita meditação, as aparências e boas intenções enganam.
  Se chegamos à conclusão que no geral é bom devemos dar continuidade, imitar, copiar, aperfeiçoar.
  Se chegamos à conclusão que alguma coisa faz mais mal que bem, a primeira coisa é examinarmos nós mesmos.
  Essa é a parte mais bonita e profunda da provocação.

  A corrupção faz muito mal, você a condena com razão, mas tem certeza que não participa?
  Pagar por um atestado médico na intenção de ter salario sem trabalhar.
  Fraudar documentos ou mentir para conseguir um beneficio social o qual não tem direito.
  Notas fiscais falsas para reduzir o imposto.

  Você fica indignado quando um político da “carteirada”, aquele famoso “sabe com quem esta falando”.
  Mas será que não faz o mesmo?
  Você se acha tão importante que pode parar em fila dupla, cortar fila, desrespeitar horários, não respeitar regras mínimas de civilidade...

  Um senhor foi entrando no Hospital, minha amiga Dirce perguntou o que ele desejava, onde iria?
  O homem nem olhou para ela, simplesmente continuou andando como se ela não existisse.
  Mas não é à toa que chamamos nossa amiga de Dirce Pitbull...HAHAHAHAHAHAHAHAH!
  Ela começou a seguir o homem.
  Ao entrar no elevador ele decidiu “lhe conceder” a palavra.

Idiota: Mas a senhora vai ficar me seguindo?
  Eu sou MÉDICO!

Dirce: Eu perguntei onde o senhor vai e não a sua profissão.

  HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
  Dircinha é fo#a.
  O cidadão ouviu uns 10 minutos de sermão e teve que ficar quietinho.
  [Se eu deletar essa parte do texto é porque a Dirce não aprovou e me pegou...]

  Para entrar em certas áreas do HC da Unicamp você tem que ter o crachá funcional, não importa o cargo que você ocupa.
  Se por algum motivo você esqueceu o crachá e a segurança te reconhece...abre-se uma exceção.
  Mas ninguém é obrigado a reconhecer ninguém e todos são obrigados a usar crachá, está no contrato de trabalho.
  No caso do “idiota” ele nem médico do HC era e como não apresentou os documentos não dá nem para saber se era médico.
  Médicos, Advogados, Juízes, Delegados são os que mais querem dar carteirada. [Sem generalização]
  Pastores são outro pé no saco, por serem adorados em suas igrejas tem a ilusão que todos lhes tem a mesma adoração...
  Quando o cara me diz: “Sou pastor”.
  Meu pensamento é: E daí! Não sou ovelha.

  Senhoras e senhores é importante identificarmos o que é mais eficiente, promover o bem, copiar o bem, corrigir a nós mesmos.

  No geral os políticos fazem sim o que o povo quer, é o povo que tem que querer melhor, agir melhor. [Terapiada Lógica]



  Uma sugestão:
   A Urna emitir comprovantes para levarmos para casa acho muito perigoso, isso não acontece nem com as cédulas.
  O comprovante pode servir para venda de votos ou em regiões dominadas por “gangs” ser objeto de opressão.
  Se você não votou em quem o bandido mandou pode se arrepender amargamente, até correr risco de vida.

  Para dificultar fraudes, no momento do voto a urna emitiria um comprovante impresso onde poderíamos verificar se confere com o que optamos.

  Depois de conferido depositaríamos em uma urna caso seja necessária uma investigação futura.


  Saudações Democráticas!




“Não irei anular ou votar em branco, vou no cartório pagar $3,51 pra não votar mais.”
[Comentarista no G+]          
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Mais dinheiro para o Governo, muito “esperto”.

Suponhamos que só em SP 1 milhão de pessoas não compareçam as urnas.

R$3,50 x 1000000 = R$ 3 500.000,00 na boa para o Governo.

Agora os políticos vão ver o que é bom para tosse ... “eleitor” xarope 😩


_____________________

Anterior          <>        Próximo 
Postar um comentário