quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Brincar de Viver



 "De todas as perversões sexuais a castidade é a mais perigosa." [Bernard Shaw]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
 Na sociedade judaica/cristã sexo foi tabu por séculos.

 Relações sexuais sempre aconteceram porque faz parte de nossa biologia, não dá para evitar, mas "moralmente" já foi bem mais difícil.
 O rapaz gostaria de transar com a moça, mas isso podia demorar 1 ano ou só depois do casamento.
 Quando o rapaz conseguisse transar com a moça seria o homem mais feliz do mundo...claro que depois da longa espera ele acaba transando e a tal felicidade não acontece, sempre falta alguma coisa.
 Faz tempo que o sexo acontece bem mais rápido, não precisa do casamento e por vezes nem do namoro sério.


  No entanto a espera pelo PRAZER evita a DEPRESSÃO porque cria uma ILUSÃO que a FELICIDADE acontecerá assim que a relação sexual for consumada, o casal se “movimenta” nessa direção.
================================
 Percebem que com a vida menos complicada financeiramente e moralmente o vazio existencial se apresenta mais rapidamente?
 Tem ainda o outro lado da moeda que não vou desenvolver nesse texto, mas se faz necessário deixar registrado.
 Se "todo mundo" transa ou tem carro [bens materiais ou sentimentais de qualquer tipo] e você não consegue transar ou ter um automóvel, o seu o vazio vem a reboque de uma sensação de "culpa" ou "incompetência".
  Retornando... uma mulher que casava por volta dos 16 anos e gerava meia duzia de filhos não tinha muito tempo para questionar ou contemplar a própria vida.
 O homem com essa prole tão grande para sustentar e serviços pouco mecanizados, vivia mais para trabalhar e pagar as contas.
 Com tantos afazeres homem e mulher mantinham suas mentes muito mais ocupadas para garantir a sobrevivência, hoje temos mais tempo para pensar, por lei trabalhamos em média 44 horas semanais, nossa mente fica mais "digamos" vazia.


“Cabeça vazia é oficina do Diabo.”


 Muitos tem a opinião que a vida mudou e hoje nos falta tempo, vou tentar mostrar que isso é um grande equivoco.
 Minha opinião é que a vida mudou sim, mas nos trouxe muito tempo livre e como não fazer nada incomoda muito as pessoas elas tentam preencher o tempo a todo custo, nem sempre preenchem esse tempo livre da melhor maneira, por vezes preenchem por preencher sem muito critério.
 É comum as pessoas se iniciarem nas drogas por pura curiosidade "falta do que fazer."
 Também fazem curso que não precisam, vão a festas que prefeririam não ir, seguem uma moda só para ter algo novo para comprar, frequentam uma igreja só para fazer parte de um grupo, vão atrás de um ideologia que possa "salvar o mundo"...
 Fazem qualquer coisa para "passar o tempo" ou seria para preencher o vazio no peito?


 Senhoras e senhores temos um vazio existencial e nada pode preenche-lo.
 É Logico aprendermos a conviver com ele.
 Não sei de onde vim, não sei para onde vou...SÓ SEI QUE ESTOU AQUI.


 Quando não tenho nada para fazer simplesmente não faço nada.
 Consigo conviver bem com meu vazio não preciso me encher de coisas, não preciso me cercar de problemas e desafios, não preciso de drogas para esquecer que estou vivo, não preciso de doutrinas infantis que inventam mundos na vã ilusão de brincar de viver.
 Estamos vivos e se nesse momento não sentimos vontade de fazer nada em outro momento sentiremos vontade de fazer alguma coisa, comer, dormir, ler, ver alguem, fazer  algo que nos diverte ou que nos dá sensação de paz como cantar, ouvir musica, orar...
 Fugimos tanto do vazio quando devemos deixar apenas ele chegar, passar e voltar em um ciclo que "talvez" termine com  nossa morte, o vazio final.
 A mente vazia é a oficina da vida.  [William Robson]


anterior                                           <>                                                próximo

Postar um comentário