sábado, 14 de abril de 2012

Cristianismo Psiquiátrico

  “A partir de 1990 constata-se também que alterações ocorridas na hipófise (pituitária) também poderiam determinar modificações imunológicas, visto que a extirpação dessa glândula ou mesmo seu bloqueio farmacológico impedia a resposta imunológico no animal de laboratório (Khansari, 1990). [Psiqweb]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  A Valnice usa como base de sua argumentação o conselheiro Tim LaHaye, mas como podem observar o que ele fala são teorias Psicológicas, qualquer um pode ir direto a “fonte”, não precisa passar pelo Conselheiro Tim e depois pela Valnice.
  A Valnice diz que a depressão tem uma só “fonte”, Satanás.
  Oras, então porque perder tempo fazendo sermões baseados na Psicologia?
  Faça igual o Valdemiro expulse o Satanás e pronto!!!!

   “Paulo nos ensina a deixar de lado as causas do desapontamento e voltar-nos para o alvo que está em Deus.” [Valnice]

  Já comentei aqui no Blog que este é o tipo de pregação mais fácil que tem.
  A solução de todos os seus problemas é aceitar Jesus de todo seu coração, amar a Deus sobre todas as coisas, se algo não esta satisfatório em sua vida é porque você não esta aceitando Jesus ou amando a Deus o suficiente.
  Outro discurso fácil é falar das propriedades magicas do amor, o amor pode tudo, consegue tudo, é a solução para tudo.


  UMA" POSSIBILIDADE" CONDICIONAL: 

 No início da campanha conversei com o Pai, Perguntando-lhe: "Não existe a menor possibilidade de Marina vencer, já em 2010?"
  Recebi uma  palavra em três  ocasiões: "Possibilidade  existe. 
  Mas  depende  de  duas  coisas:  Muito jejum e oração e muito trabalho." [Valnice]


   [Caraca! Jejum, oração e trabalho são coisas diferentes, logo deveriam ser três coisas, mas deixemos pra lá...]
   Vejam bem que Valnice fala direto com o Pai e pergunta se Marina pode vencer já em 2010 [ou seja ela inevitavelmente será Presidente] e o Pai diz que tudo depende da quantidade de jejum, oração e empenho na campanha.
  Percebem? Se Marina ganhasse seria o poder de Deus, como Marina não ganhou foi falha da igreja.
 Não importa o que aconteça, se for bom você credita a Deus, se der errado você deve assumir a CULPA.
 Logo, se você esta deprimido é o Satanás agindo em sua vida e Deus permite isto porque você não o esta amando suficiente, “focar em Deus”, ama-lo é a solução para tudo.
  Mas vamos deixar o malabarismo ideológico da Valnice de lado e também deixar de lado a tosca Psicologia.
                                                        ===================
  Filosoficamente eu digo que temos este VAZIO EXISTENCIAL e a melhor maneira de não caminharmos para uma depressão profunda é reconhecer este buraco em nosso peito.
  Ficamos nos enganando que é falta de dinheiro, fama, saúde, falta de Deus, mas tem gente que tem tudo isto e o vazio continua lá.
  Para falar de alguém que todos conhecemos vejam o caso do Roberto Carlos.
  Saúde, dinheiro, fama, grandes amores, religiosidade, trabalha no que gosta, não precisa trabalhar... e quem pode dizer que ele é um homem pleno e feliz? 
  Tem ou teve TOC, o transtorno obsessivo-compulsivo é considerado o quarto diagnóstico psiquiátrico mais freqüente na população, sua fonte é Satanás. [Uma salada para agradar os seguidores da Valnice]
  Tá você vai dizer que Roberto esta na religião errada, acredita até em imagens.
  Então olhe a sua volta, faça uma pesquisa em sua igreja, quem você pode dizer que é plenamente feliz, que não tem vazio existencial; seu pastor talvez?
  Por vezes uma pessoa pobre nos passa a impressão de que é mais feliz, é porque ela “busca” uma melhora na situação, ela pensa que só precisa de mais dinheiro e muitas vezes vai a igreja para que Deus a abençoe neste propósito.
  Resumindo, ela tem a certeza que o dinheiro acabará com o seu vazio existencial e a “busca”  toma tanto seu tempo que ela nem tem tempo de olhar para si mesma, assim não sente ou enxerga o vazio.
  Esta confuso? Deixa eu ver se consigo dar uma clareada, afinal não idolatro Freud, não faz sentido querer ser tão confuso quanto ele.
  Você pisou de mal jeito e sofreu uma leve torção no pé, quando você anda dá aquela dorzinha chata, é ruim, te incomoda.
  Você percebe que será assaltado e sai correndo, até esquece da torção no pé.
  Ou seu dente começa a doer muito, como a dor no dente é bem mais doída que a torção no pé você até esquece que tem pé.
  A sua “felicidade” parece que é se livrar do assaltante, você busca se livrar da situação incomoda. 
  A sua felicidade parece que é acabar com a dor de dente.
  Sem o assalto ou a dor de dente você voltará a lembrar da torção no pé e não encontrará a tal felicidade.
  Mas suponhamos que a torção de pé também seja resolvida então você ficará com vontade de uma coisa que não sabe bem o que é, mas enquanto não encontra-la ficara entediado acreditando que falta alguma coisa...

  Buscar a felicidade não é o que nos deprime, o que nos deprime é acreditar que podemos alcança-la.

  Para ser pleno, feliz, você deveria ser capaz de acabar com este buraco em seu peito, este vazio existencial, e lamento informar que por tudo que já vi, aqui nesta situação em que nos encontramos é IMPOSSÍVEL, e nem podemos afirmar que existe alguma outra situação.
  Se você é capaz de entender o que esta escrito neste texto poderá ficar muito próximo de uma situação de felicidade, colecionará bons momentos na vida.
  Se não for capaz... vai se perder em drogas, remédios ou se culpar e culpar a uma entidade maligna por tudo que não te satisfaz.
  Se for da igreja da Valnice enquanto não consegue expulsar Satanás de sua vida pode ir tomando alguns psicotrópicos, Tim LaHaye aprovaria...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
  Quanto a Psicanálise a Valnice faz sessões coletivas, basta pagar o dizimo.
  Entrando para INSEJEC você encontrará o Cristianismo Psiquiátrico, se Freud era um judeu ateu, você pode ser um cristão psiquiátrico, porque não?
  Por tradição e etnia culpará Satanás e a você mesmo pelas dificuldades da vida, mas como os tempos são outros o importante mesmo é entender a Psicologia da coisa...


anterior                                           <>                                                próximo