sábado, 3 de março de 2012

Sou Incompetente

  “Todo cargo tende a ser ocupado por um funcionário não qualificado para desempenhar suas funções.”   [Edward  Murphy]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Uma característica importante em um líder, segundo minhas observações, é a capacidade de julgamento imparcial.
  Por vezes sacrifica seus próprios interesses em nome da eficiência na empresa ou empreitada. 

  Infelizmente esta característica que admiro tanto em um líder, a capacidade de julgar com bom senso, não é a preferida pelas empresas.

  Os critérios na maioria das vezes são pessoais, há uma empatia com a chefia imediata então seu nome é lembrado, fazer parte da panelinha é mais importante que ser competente para chegar a um cargo de chefia.
  O outro critério é fruto de um pensamento linear e é este que destacaremos no texto de hoje.

  “Se o cara é um excelente digitador então será um excelente líder dos digitadores”

  Administração é uma arte muito complexa.
  Um excelente médico não é necessariamente um excelente administrador de hospitais, de repente um advogado com bons conhecimentos médicos pode até ser um administrador melhor.
  Um excelente jogador de futebol não é necessariamente um excelente técnico de futebol.
  Lembrei agora do Falcão que jogou no Internacional, foi um jogador muito bom, mas nunca convenceu ninguém como técnico.

  Percebam que mais cedo ou mais tarde nós somos confrontados com nossa INCOMPETÊNCIA?

  Tem um ditado que pede para termos cuidado com o que pedimos, pois pode acontecer.
  Você deseja tanto ocupar um cargo de chefe, pede tanto por isto e nem se pergunta o quanto tem talento para isto, você só pensa no dinheiro, prestigio e poder.
  É como o guitarrista que inveja o vocalista da banda, faz de tudo para ocupar seu lugar, inclusive lhe causando dificuldades, o cargo fica vago e o guitarrista descobre que ele como vocalista é uma lástima, a banda deixa de fazer sucesso e todos saem perdendo.

  Por isto é tão importante o autoconhecimento, descobrir o que você gosta e o que não gosta, descobrir suas incompetências e competências.


==============================
  Uma colega recentemente me disse uma frase que me provocou bastante.
  “Geralmente fazemos bem aquilo que gostamos”.
  Isto grita para ser transformado em texto, mas por hora sabemos que isto não corresponde a uma realidade observável, gostar de cantar não significa ser um bom cantor, gostar de futebol não o transforma em um grande jogador, gostar de pintura não o transforma em um grande pintor, então gostar de algo não significa ter talento para o que gostamos...infelizmente.
  Voltando para o tema, quem por algum motivo estiver no poder, estiver liderando algo, tem que estar sempre treinando sua capacidade de julgamento imparcial. A pessoa que almeja a liderança tem que ter esta visão holistica [geral] das coisas, para que não dê o passo maior que  as pernas e seja confrontada com sua incompetência ou pior ainda, seja uma célula maligna espalhando estresse e incompetência por toda empresa.

  Gostar de fazer uma coisa não o torna apto a realiza-la e a pressão pode ser tão grande que o salário que você recebe no final do mês não compensa o estresse.

  Veja um outro exemplo, você pode não gostar do que escrevo, ou do que a Nihil escreve, mas não dá para negar que escrevemos com uma certa facilidade.
  Se eu ou a Nihil tivéssemos que entregar uma crônica por semana a Revista Veja, não seria uma pressão muito grande para nós desde que a Veja não exigisse um estilo de texto muito diferente do que estamos acostumados a escrever.
  Você deve conhecer pessoas com grande dificuldade em redação, ficam horas diante de uma folha em branco e não surge nenhuma idéia mesmo o tema sendo livre, oras, esta pessoa pode ter as costas quentes e conseguir esta grande oportunidade na revista, mas como não tem talento para escrever, entregar uma crônica por semana pode significar uma insuportável pressão.
  Da mesma forma se a Veja me pedisse apenas crônicas sobre esportes eu seria incompetente para esta empreitada, percebem como sempre chegamos bem rápido e fácil a nossa incompetência?
  Tem uma frase antiga que diz que um país se faz com homens e livros.
  Eu acrescentaria a esta frase a escolha de bons lideres em todos os setores, até escolher uma boa esposa ou um bom marido.
  Um país eficiente se faz com um povo ciente da importância da educação e da escolha de bons lideres.
  Pense sobre isto nas próximas eleições e você que tem poder para promover pessoas no trabalho...seja menos passional e mais racional, a saúde mental de todos agradece.



anterior                       <>                                próximo
                                                                 
Postar um comentário