terça-feira, 6 de março de 2012

Protestantismo o Retorno

  “Ninguém pode pronunciar-se acerca da sua coragem quando nunca esteve em perigo.” [Rochefoucauld]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Eu nunca estive muito bem de vida com relação a dinheiro, mas estive em cargo de chefia, sempre fui ajuizado e minha vida financeira foi melhorando aos poucos.
  Como faz tempo que me assumo Capitalista muitos me chamavam de materialista.
  Juro que não entendo porque!
  Era religioso, caridoso, estas duvidas que hoje exponho no Blog eu não trazia a tona.

  Lembrei de alguns debates familiares onde diziam que eu só teria um contato “verdadeiro” com Deus se eu perdesse toda a matéria que me cercava, todos os meus bens.

  Eu dizia que não seria capaz de querer bem um Deus que só falasse comigo se eu estivesse na miséria. Não queria nem pensar se isso acontecesse.
  Parecia até que alguns familiares torciam para que eu passasse grandes dificuldades para que eu voltasse a ser Evangélico. [nesta época eu era Kardecista]
  Já contei aqui que a partir de 2005 minha vida econômica desandou bastante.
  Não! Não cheguei nem perto de ficar na miséria. 
  Sempre trabalhei para levar algum dinheiro para casa e minha esposa se manteve razoavelmente bem empregada, então meu padrão de vida estagnou, mas não chegou a andar para trás, mesmo assim foi um terrível choque.
  Se reinventar profissionalmente depois de anos se dedicando a uma empresa é terrível, sei que isto acontece na vida de inúmeras pessoas e só quem já passou consegue entender plenamente esta situação. 
  A Empresa passou por um processo de fusão, mas todos sabemos que nesse processo sempre tem a empresa dominante e que passa a ditar as regras e nas novas regras eu era descartável, um problema a ser solucionado.
========================
  Confesso que no auge da minha crise até parei com o Kardecismo e fiz visitas a algumas igrejas evangélicas, inclusive a Presbiteriana da qual já fiz parte.

  Sentado ali, ouvindo belos sermões dos pastores percebi que aquilo não tinha nada mais a ver comigo.

  Até porque não havia como eu culpar o Kardecismo por algum infortúnio.  
  No Kardecismo tive contato com pessoas maravilhosas, extremamente bondosas e muitas sem grandes problemas financeiros, uma vida aparentemente abençoada.

  Tal qual eu previa naqueles debates com minha família, ser jogado no fundo do poço, ser tornado “sapo” só me fez afastar de qualquer religião, porque os pensamentos do Abismo fatalmente foram trazidos a tona com conseqüências imprevisíveis.

  Estar nesta situação de perceber que minha proteção é bem pouca me fez redobrar a aplicação da Lógica, não adiantava eu ficar lamentando sobre a vida não ser justa.
  Por enquanto estou aliviado dessa Terapia da Lógica não estar me trazendo conseqüências negativas, de uma certa forma é reconfortante expor meus pensamentos, até aqueles que eu evitava pensar.
  Por hora  a loucura ainda não me alcançou, financeiramente estou na minha melhor fase [não que seja grande coisa], aqui em casa estamos em muita paz.
  Este texto é só uma preparação para o texto que me foi inspirado pela frase em destaque, então...
  I’ll be back!





anterior                       <>                                próximo
                                                                                                                                                          

Postar um comentário