segunda-feira, 26 de março de 2012

Filhos e Pais

  “Nas desgraças há que se lembrar do estado de conformidade com que olhamos as alheias.” [Epíteto]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  No GD Religião li um “conto da carochinha” onde influenciado por opiniões alheias um homem mata uma raposa que havia acabado de salvar seu filho do ataque de uma cobra.

  A moral da historia é que devemos confiar em uma pessoa independente do que falam dela.

  Este é um conselho que um Filosofo não deve seguir, a moral de um conto da carochinha não é confiável e ignorar informações e observações não é próprio de um filosofo.
  No mesmo dia passeando no Face colocaram lá uma historinha em quadrinhos onde uma garotinha que dança Funk e a mãe não a proíbe acaba ficando gravida na adolescência.
  A moral da historia é que a mãe que não controla o tipo de dança ou roupa que a garota usa é culpada da gravidez na adolescência, ou pelo menos não pode reclamar quando isso acontecer.
  Afinal crianças são folhas em branco e qualquer coisa desagradável que aconteça na adolescência é diretamente culpa dos pais, a historia em quadrinhos não mente...HAHAHAHAHAHAHAHAHAAH!
  Lá no GD Religião eu comentei que se pessoas me informam que um colega é caloteiro se eu emprestar dinheiro para o cara será bem pouco para não correr grande risco, já vi  muita gente ter o nome no SERASA porque foi ser legal com amigos e parentes que  já se sabia que não eram bons pagadores.
  No Face eu postei a noticia de um pastor que estuprou uma menina que possivelmente nunca tinha dançado Funck. 
  A desgraça da menina e sua família foi olhada com certa conformidade [nenhum comentário], já a historia em quadrinhos foi uma “curtição” com comentários de apoio, “é isto mesmo, a mãe é culpada.”
=========================
  O que quero dizer é que não entendo porque historinhas inventadas por vezes tem mais peso que FATOS  reais!
  As pessoas, por exemplo, deixam parábolas guiarem suas vidas ignorando toda realidade que se apresenta a sua volta.
  Lembrei do sucesso que fez o Axé Music há uns tempos atrás, conheci inúmeras garotas que se divertiram dançando “na boquinha da garrafa” e nem por isto deixaram de ser moças ajuizadas.
  Tá, não sei se existe uma pesquisa, mas provavelmente o índice de gravidez na adolescência deve ser bem maior no meio Funck que no Evangélico.
  O complicado é que já vi pais bem rigorosos não terem força para impedir suas filhas e filhos de irem para balada, não conseguiram escrever o que queriam na “folha em branco”.
  Tem muito evangélico por aí que acabando o culto dá uma fugidinha para casas noturnas.
  Já vi filhos de família católica virarem protestantes fervorosos.
  Para citar o caso de alguém conhecido lembrei do Silvio Santos que é Judeu e sua esposa e algumas filhas são evangélicas.

  Crianças não são folhas em branco, se sua filha tem um espirito "festivo" não sei até que ponto força-la a uma vida recatada será bom para seu relacionamento com ela.

  Da mesma forma se ela é recatada não adianta ficar a arrastando para festas.
  Isto não é conto da carochinha, não é historia em quadrinhos, é a vida como ela é.
  Todos devem conhecer historias de filhos que se afastam muito de seus pais devido uma “total” incompatibilidade de gênios o que eu observo é que muitas vezes esta tal incompatibilidade nem é tão grande assim, acontece que um acha que tem o PODER de mudar a personalidade do outro.
  Atualmente sei de uma amiga que sofre muito com a distancia de sua filha que decidiu ir morar com o pai, o que aconteceu?
  Ela tentou exercer o seu poder de mãe querendo moldar a personalidade de sua filha, sua filha tinha para onde escapar e...escapou. 
  Torço para que tudo fique bem, tenho dado conselhos a minha amiga e sei que ela entende, o difícil é conseguir colocar em pratica...
  Já os filhos incorporaram as teorias Freudianas/Marxistas, porque é muito confortável encontrar alguém para por a culpa caso as coisas não saiam como sonhamos.

  “Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo. São crianças como você. O que você vai ser quando você crescer?”

  Sim senhoras e senhores, é preciso amar as pessoas hoje porque o amanhã pode não acontecer, mas precisamos crescer.
   Adultos aprendem que até o amor deve ser conduzido pela razão, a vida fica bem melhor assim.


anterior                                           <>                                                próximo