sexta-feira, 16 de março de 2012

É a Matemática

  “Se não há café para todos, não terá para ninguém.” [Guevara]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
   Ler Che tem sido um tédio, é como passear por esses Blogs comunistas que se dizem “socialistas”, incrível como eles se apropriaram dessa palavra deturpando seu sentido.
   Mas como eu me propus a analisar os pensamentos de Che, vamos flutuar pelo Abismo...
   O que esta exposto na frase é tão primário filosoficamente que seria perda de tempo eu comentar alguma coisa, é como você tentar ensinar uma criança a fazer conta de dividir sem que ela saiba fazer as 3 operações básicas anteriores, soma, subtração e multiplicação e pior ela tem raiva gratuita de quem sabe.
   Ficar debatendo em Blogs comunistas é difícil porque eles não dominam conceitos primários de filosofia e economia, então até que analisar os pensamentos de Che pode ser interessante no sentido de que ele é um mestre para os “socialistas”.
  Talvez se eu expor seu mestre ao ridículo, mostrar a mediocridade de seus pensamentos eu acerte dois coelhos com uma cajadada só.
===========================
  Vamos a um Capitalismo básico sem sentimentalismos baratos:
  Para suprir a necessidade de leite em uma região é preciso produzir 1000 litros de leite por dia, mas a única cooperativa consegue produzir 500 litros.
  Como a procura é muito maior que a oferta o litro de leite que custa 1 real para ser produzido é vendido por 2 reais o litro.
  Por este preço só uma parte da população bebe leite todos os dias.
  Nós podemos tentar algumas “soluções” para esta situação.
   Desapropriamos a cooperativa que produz leite tornando-a uma Estatal, como uma Estatal na teoria não precisa ter lucro podemos vender o leite a 1 real.
  Acontece que embora agora todos possam comprar leite a produção continua a não ser suficiente, lembrem-se que só conseguimos produzir 500 litros.
  Ah, mas somos um Estado Socialista ou tem leite para todos ou não tem para ninguém.
  Como já nos apropriamos da cooperativa e ela esta produzindo podemos limitar o consumo familiar em meio litro, assim todos terão acesso ao leite.
  Maravilha, bacana, viva o Comunismo!
  Acontece que uma empresa que não tem lucro, não acumula capital, uma empresa que não acumula capital não tem como investir para aumentar a produção.
  Logo, os habitantes dessa região não podem de maneira nenhuma aumentar o consumo, também a população não poderá crescer porque a cota de leite ficará cada vez menor.
  Você vai dizer que o Estado pode investir para aumentar a produção.
  Bom ele terá que tirar de outras áreas, na Coréia do Norte por exemplo eles investem muito em armamentos, este dinheiro sai de outros setores da economia.
  O Estado pode aumentar o preço do litro do leite, ter lucro e acumular capital.
  Mas não é justamente esta situação que ele quis combater!?
=============================
  Vamos ver o que aconteceu nos países Capitalistas em situações semelhantes.
  O lucro fácil da produtora de leite local atraiu a cobiça de outros empreendedores que também se animaram em produzir leite. 
  A oferta do produto ampliou e quando a produção diária passou dos 1000 litros a oferta passou a ser maior que a procura e os preços tiveram que baixar.

  Não, ele nunca chegou a ser vendido pelo preço de custo porque a empresa precisa ter lucro, o empresário não é um anjo que caiu do céu para fazer justiça social, para trabalhar de graça.

  Nas mais diversas regiões do planeta onde foi descoberto ouro houve uma corrida de gente disposta a “correr risco”, mas a pessoa só se arrisca se há possibilidade de conseguir ouro, conseguir LUCRO.
  Nos países Capitalistas não há desabastecimento de leite, o preço varia de acordo com a oferta no mercado.
  Como o Capitalismo por sua eficiência produz muita riqueza, a maioria das famílias tem condições de conseguir no mercado o tanto de leite que precisa.
  Se eu quiser fazer uma festa de Milk Shake para as crianças e quiser comprar 10 litros de leite, não terei grandes problemas em conseguir, não preciso recorrer ao “mercado negro” como aconteceria em Cuba.
   No Capitalismo o Estado ao invés de ficar gerenciando fabricas cuida da legalidade do sistema, respeito as leis, a propriedade, combate a exploração do poder econômico, cuida da segurança, educação e saúde, enfim o Estado defende os interesses da sociedade garantido condições básicas de vida, sem se esquecer que o empresário também faz parte da sociedade e prejudica-lo  é o mesmo que matar nossa galinha dos ovos de ouro.
  Por esse trabalho do Estado todos os cidadãos e empresas pagam impostos, parte desses impostos podem e devem ser utilizados pra criar uma rede de proteção aos menos adaptados ou “azarados” [mistérios de Deus], aqueles para os quais a vida não esta dando muito certo.
  Através de programas sociais podemos subsidiar leite pra aqueles que realmente precisem e mais que isto, criar condições para que este subsidio não seja eterno, que eles possam comprar leite com suas próprias posses.
  Este exemplo que eu dei do leite pode ser estendido para a grande maioria dos produtos e serviços.
  Sempre aconteceu exatamente como foi descrito? Claro que não, a vida não é exata!
  Analisando o histórico da humanidade foi o que mais aconteceu, como Filósofos Matemáticos estatísticas e probabilidades pesam muito em nossas observações.
  Eu escrevi no Blog Religião algo parecido, sei que vou morrer e pode estar determinado que seja hoje, mas pela probabilidade e estatística eu tenho muitos anos de vida então eu ajo como se hoje fosse mais um dia de vida e não o dia de minha morte, é MATEMÁTICA pura.
  É por isto que a Matemática é uma excelente base para Filosofia e ela nos diz que o Capitalismo é muito eficiente produz e distribui riquezas.
  O Comunismo trava a produção, fica dividindo a pobreza.
  Não há sentimentalismo de minha parte é  a matemática das coisas...




anterior                                           <>                                                próximo
                                                                               

Postar um comentário