quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Insônia

 "Mesmo minha tendência atual à insônia talvez ainda se deva aos dois ou três copos de chá preto que tomo todo dia." [Nihil]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Você como boa Freudiana busca esta padronização humana. Eu filosoficamente já desisti dela faz tempo.
  Eu infelizmente não posso, mas gostaria de poder dormir sempre que sentisse sono, sem me preocupar com a hora do dia ou da noite, sinto que funciono melhor assim.
  Quando estou de férias faço isso.

  Durmo 1 ou 2 horas e fico acordado umas 4 ou 5 horas, nada muito padronizado.
  Se acordo 3 horas da manhã assisto um filme, leio revista, escrevo um texto.
  Se sinto vontade de dormir 5 horas da tarde é o que faço, mas isso só dá para fazer quando tenho folga ou de preferencia nas ferias.
  Sou doente? Tenho algum transtorno?
  Pode até ser, eu acho que sou apenas WILLIAM ROBSON, um ser que gosta de dormir quando sente sono e de ficar acordado quando não esta com sono.
  Tomar remédios me padronizaria para ser o que esperam que eu seja segundo uma medida que inventaram...não me sinto preparado para isso, minha "doença" me parece mais aceitável que a "normalidade".



  Segundo a lenda, o italiano Leonardo da Vinci (1452-1519) teve bastante tempo – e genialidade – para suas inúmeras invenções e obras de arte porque dormia irrisórios noventa minutos por ida, divididos em sonecas de 15 minutos a cada quatro horas. Pelo sim, pelo não, cientistas do Instituto de Fisiologia Circadiana (que trata do ciclo biológico do homem) em Boston, Estados Unidos, resolveram conferir os efeitos de uma dieta de sono sobre o desempenho intelectual. Voluntários de 27 anos foram induzidos durante nove dias a repousar como, supõe-se, fazia Da Vinci. Depois, submeteram-se a testes de raciocínio, cálculo e memória.  [Super]



anterior                       <>                                próximo