segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Asas Curtas

   "Vês que a razão, seguindo o caminho indicado pelos sentimentos, tem asas curtas."  
 [Dante Alighieri]

   Em inúmeros livros de autoajuda, novelas, filmes, desenhos infantis, músicas ... o conselho mais dado é que você deve seguir seu "coração" (sentimentos).
   Não observo que esse seja um conselho eficiente.
   Como somos seres emocionais os sentimentos devem ter um bom peso em nossas decisões, ignora-los pode trazer muitas frustrações.
  Porém, se você der prioridade em "seguir seu coração" na maioria das vezes tomará decisões bem sofríveis.
  Não esqueça que também somos seres racionais.

  



  Por esses dias fiquei sabendo de um caso que dá vontade de dar um tapa no rosto da pessoa e gritar ACORDA!
  Resumidamente é o seguinte:
  Uma mulher bonita, bem situada profissionalmente, sem problemas financeiros ... tem aquele vazio existencial que acompanha todos nós.
  No caso dela "parece" ser um pouco maior ou ela lida muito mal com isso.
  Mesmo essa mulher recorrendo a anos de Psicanálise e Psiquiatria por vezes seu desejo de morrer é intenso, já tentou o suicido ingerindo remédios, foi socorrida a tempo.
  Hoje em dia ela "sente em seu coração" que precisa ser mãe, a vinda de um filho será a cura de todos seus males da alma, lhe dará um sentido maior a vida; até aí tudo "razoavelmente" bem.
  O desejo da maternidade/paternidade é comum em uma fase da vida.

  Acontece que como meu amigo Dante dizia: 

 "Percam as esperanças, estamos todos no Inferno."

  Senhoras e senhores, a vida não é fácil, cheia de poréns.

  O porém na vida dessa mulher é que ela sabe que carrega uma degeneração genética que fará com que seu filho nasça com grandes sequelas.
  Já passou por vários médicos e tem a CONSCIÊNCIA, tem o conhecimento que as chances de ter uma criança saudável são mínimas.
  Ela quer seguir seu coração, esta firme no propósito e fará de tudo para engravidar.

  Eu já tive um irmão doente na família (hidrocefalia) e vou dizer, é uma situação TERRÍVEL, a gente suporta porque não tem outro jeito.

  Fico imaginando essa mulher com seu histórico grave de depressão sendo submetida a uma situação de sofrimento tão intenso.
  Prefiro acreditar que sua "missão secreta" seja dar seu amor e uma grande oportunidade a um órfão ou se dedicar a qualquer outra causa "nobre".
  Em um mundo que já tem 7 Bilhões de pessoas trazer mais uma com grave problema de saúde é irracional demais.
  Dinheiro não será problema (no caso dela), mas se dinheiro resolvesse tudo ela não seria tão deprimida.
  Essa lógica entra em sua mente?


  A razão deve levar em conta a emoção, mas não pode se deixar ser dominada por ela principalmente em questões cruciais.

  Trazer pessoas ao mundo é uma das decisões mais cruciais que tomamos. 
  Me entristece a irresponsabilidade de tantos diante da paternidade.
  Se trata de mudar radicalmente a situação de toda uma vida, sua e dos outros, de uma criança, de uma alma...

  A vida não é exata.
  Conhecemos casos em que a loucura aparentemente deu certo, se o risco é só para gente mesmo até que é aceitável. 
 [Lembrando que dificilmente só nós somos afetados]

  A RAZÃO nos sugere que quando o risco envolve fortemente outra vida, outra alma...não podemos ter preguiça de meditar, não escolhemos o que sentir, mas devemos AGIR racionalmente.

  A mulher acredita que trazer mais problemas para sua vida é uma boa solução!
  Prefere arriscar uma gravidez onde as possibilidades da criança nascer saudável são minimas!

  Quando quiser seguir seus sentimentos, coloque na balança tudo que isso pode trazer de SOFRIMENTO.

    Se a cabeça NÃO PENSA ... não é o coração que fará isso ... ele só bombeia o sangue para um corpo que padece.







.